Alimentação da mãe que amamenta

Durante a amamentação não é necessário que modifique a sua alimentação, partindo do pressuposto que mantém uma alimentação saudável: completa, variada e equilibrada.

E mesmo que o seu objetivo seja perder peso e voltar à forma que tinha antes de engravidar, esta não é a altura certa para restringir a sua alimentação, uma vez que ao estar a amamentar as suas necessidades vão estar aumentadas: o seu corpo precisa de energia “extra” para ser capaz de produzir o leite.

Além disso, na maioria dos casos, basta uma alimentação saudável, aliada ao exercício físico moderado e ao próprio ato de amamentar, para que o corpo volte à sua forma antiga facilmente.

Se gostaria de saber um pouco mais sobre como manter hábitos alimentares saudáveis, veja as dicas que se seguem:

  • Faça várias refeições ao dia;
  • Mantenha os intervalos entre refeições minimamente regulares – não deixe passar mais de 3hr30min entre cada refeição;
  • Mastigue calmamente e faça as refeições num ambiente relaxado;
  • Ingira uma quantidade boa de água (cerca de 2L por dia) – além de a manter hidratada, ajuda no trânsito intestinal e ajuda na produção do leite;
  • Siga as recomendações da Roda dos Alimentos Portuguesa.

É claro que ao estar a amamentar é importante ter certos cuidados especiais no que diz respeito à alimentação, nomeadamente:

  • Evite alimentos açucarados, salgados ou com muita gordura – é normal que este tipo de alimentos substitua os alimentos realmente importantes, e é importante evitar que isso aconteça; além de serem prejudiciais para a sua saúde, vão também prejudicar a produção de leite.
  • Não ingira bebidas alcoólicas (vinho, cerveja, bebidas destiladas) – o etanol é o principal constituinte deste tipo de bebidas e é capaz de passar da circulação sanguínea materna diretamente para o leite; ora, o bebé acabará por ingerir este composto o que vai trazer consequências negativas, já que o organismo dele, devido à imaturidade inerente, ainda não é capaz de eliminar o álcool, afetando o seu desenvolvimento. Além disso, pode prejudicar a saída do leite da mama.
  • Evite bebidas com cafeína (café, chás, refrigerantes de cola…) – uma vez que a cafeína também é capaz de passar diretamente da circulação sanguínea da mãe para o leite materno e isso poderá causar agitação e irritabilidade no bebé: esteja atenta à reação do seu filhote e se o vir muito agitado recapitule e pense se terá ingerido algum alimento ou bebida com cafeína na sua constituição.
  • Tenha atenção aos alimentos de sabor forte (alho, cebola, etc.) e avalie se o seu bebé aceita o seu leite depois de ingerir alimentos assim – o sabor caraterístico deste tipo de alimentos passa também para o leite materno, o que pode prejudicar a aceitação por parte do bebé; se ele aceitar o leite assim mesmo, não é necessário excluí-los da sua alimentação, até porque vai fazer com que ele aceite melhor os alimentos sólidos, na altura da diversificação alimentar; no entanto, se reparar que estes alimentos estão a causar algum mal-estar e desconforto ao bebé reduza a quantidade ou elimine.
  • Se há na família história de alergia alimentar evite os alimentos associados à alergia, uma vez que a probabilidade do seu bebé ser também alérgico a esse alimento é alta; e mesmo não o ingerindo diretamente, poderá apresentar alguns sintomas de alergia. Os alimentos mais comumente associados a alergia são o leite e derivados, frutos cítricos, morangos e kiwi.
  • Cuidado ao chocolate – pode causar reações alérgicas ou irritabilidade no bebé.
  • Muito cuidado com todos os medicamentos que toma – o composto ativo de alguns medicamentos pode passar para o leite materno, o que pode ser prejudicial para o bebé. Se precisar de tomar algum medicamento, fale sempre com o seu médico sobre a possibilidade de continuar a amamentar durante a toma.

Finalmente tenha sempre em atenção aos alimentos que ingere de forma a conseguir perceber se causam transtornos ao seu bebé, tais como choro, irritação, recusa em mamar, dificuldade em dormir, etc. Se verificar que isso acontece evite esses alimentos. Os alimentos que são mais comumente rejeitados são leguminosas (feijão, ervilhas, favas, grão-de-bico, etc.) e hortícolas (brócolos, couve, pepino, nabo e repolho).

Caso contrário não é necessário restringir a sua alimentação por causa do seu filhote. Aliás, ao restringir certos alimentos pode até condicionar a aceitação, por parte do seu filho, de novos alimentos aquando a diversificação alimentar.

Publicado a 1 de outubro de 2012 / Atualizado a 20 de março de 2013

Chien, Y.-C., Huang, Y.-J., Hsu, C.-S., Chao, J. C.-J., & Liu, J.-F. (2009). Maternal lactation characteristics after consumption of an alcoholic soup during the postpartum “doing-the-month” ritual. Public health nutrition, 12(3), 382-8. doi:10.1017/S1368980008002152

Associação Portuguesa dos Nutricionistas (2010). Aleitamento Materno: Promover Saúde! Retrieved from: Apn.org.pt

Foster, J., & Shertzer, J. (2009). Nutritional Needs of Pregnancy and Breastfeeding. The Ohio State University, 1 - 4.

Veja o que a nossa comunidade está a dizer sobre este tema e comente! Comentar