Regresso da menstruação após o parto

 

Durante a gravidez, no corpo da mulher acontecem alterações físicas e fisiológicas que promovem as condições necessárias para o nascimento de um bebé. As alterações mais significativas ocorrem no útero que aumenta de tamanho (permitindo o crescimento do feto), o desenvolvimento do líquido amniótico, da placenta e das membranas. Após o nascimento do bebé, e ao longo de cerca de seis semanas, o útero volta ao tamanho anterior à gravidez.

Após o parto, no interior do útero, permanecem restos de placenta e coágulos de sangue que vão sendo eliminados, os chamados “lóquios”. Desaparecem, normalmente, uma a duas semanas após o parto.

No início estas perdas podem ser abundantes e de cor vermelho viva; gradualmente, a coloração muda para marron e, posteriormente, para cor amarelada até acabar por desaparecer. Durante esse período, o útero contrai-se provocando dores abdominais durante vários dias obrigando mesmo, por vezes, ao uso de analgésicos.

Se amamentar exclusivamente, habitualmente, a menstruação volta quando deixar de fazê-lo.

No entanto, se não amamentar os seus ciclos menstruais devem retornar à normalidade ao fim de um mês, ainda que, normalmente, possa aparecer apenas por volta dos três a quatro meses após o parto. A menstruação aparecerá de uma forma irregular, sendo de cor escura e, normalmente, mais prolongada (podendo durar seis a oito dias)  regularizando  gradualmente.

Ainda assim convém usar um método anticoncepcional logo que comece a ter relações sexuais após o parto, uma vez que o organismo liberta o primeiro óvulo pós-parto antes de realmente menstruar e por isso não há como prever esta ovulação.

Deverá conversar com o ginecologista no sentido de adotar o método adequado.

Se amamentar até aos seis meses, exclusivamente, e tiver a tomar anticonceptivo contínuo, que contém apenas progesterona, a sua menstruação poderá aparecer sete a oito meses depois do parto embora possam ocorrer algumas perdas sanguíneas durante esse período. Normalizará só quando deixar de amamentar e voltar ao método contraceptivo que usava anteriormente. Pode, então, dizer-se que quanto mais o bebé mamar no peito maior será o tempo sem menstruação.

Todas as mulheres são diferentes e o regresso dos ciclos depende de cada corpo e de outras circunstâncias. Perante todas as dúvidas deve procurar-se orientação de um médico.

 

Publicado a 17 de junho de 2014

Alterações no puerpério. Retrieved from: Medipedia.pt

Veja o que a nossa comunidade está a dizer sobre este tema e comente! Comentar